sexta-feira, 3 de março de 2017

The Accountant|2016


The Accountant tem uma premissa que me cativa logo à primeira vista, um protagonista autista. Sou bastante curiosa com este síndrome, se bem que este filme não personifica tanto o síndrome como o faz Jodi Picoult no seu livro "No seu mundo".
Christopher Wolff (Ben Affleck) é um contabilista com uma particularidade, é autista. Teve um passado difícil e exigente, e por isso tornou-se não só bom contabilista, como muito bom assassino. É uma história improvável mas que Bill Dubuque fez fazer sentido. 

Chris é contratado por uma grande empresa para descobrir como o dinheiro tem desaparecido sem ninguém dar por isso nos últimos 15 anos, acaba por conhecer Dana (Anna Kendrick), que é o elo de ligação entre a empresa e o contabilista, que criam logo uma certa empatia.
Conforme se desenrola a historia nem tudo é o que parece e Wolff deixa os números de lado para dar lugar a um assassino implacável, onde o final tem um "twist" que não estava mesmo à espera. 
Na minha opinião, as mortes são demasiado gráficas neste filme, o que fez com que fechasse os olhos várias vezes. O melhor do filme sem dúvida foi a prestação de Ben Affleck como um autista e como assassino que usa canções de embalar para se acalmar:"Nasceu numa segunda, batizou-se numa terça, casou-se numa quarta, adoeceu numa quinta, piorou numa sexta, morreu num sábado, enterrou-se no domingo, e este foi o fim de Solomon Grundy.".


1 comentário

© the washing machine.
Maira Gall