sábado, 14 de janeiro de 2017

Inferno|2016


Há muito que queria ver este filme, finalmente consegui fazê-lo ontem. Já tinha lido o livro do autor e estava ansiosa para ver a adaptação cinematográfica. A oportunidade de ir ao cinema não aconteceu e o filme acabou por sair de cartaz, ontem acabei por vê-lo em casa.
O que me faz continuar a adorar este género de filmes é toda a trivia sobre História de Arte que Langdon resolve num piscar de olhos. Se no livro senti que as coisas demoravam a acontecer, no filme as coisas passaram-se muito rápido, rápido demais na minha opinião. São duas horas de filme, mas esperava que fossem três, pois à demasiados detalhes que foram ignorados.
É dos meus livros preferidos do autor, Dan Brown, não fosse Itália o grande palco dos acontecimentos, mas foi pouco focada, assim como a fuga pelos jardins do Palazzo Vecchio e mesmo dentro do mesmo, foi tudo muito superficial.

Em relação a Robert Langdon (Tom Hanks), pareceu drogado o filme todo, bem sei que sofreu de amenésia grande parte da trama, mas pareceu bem mais que isso. Adorei Sienna Brooks (Felicity Jones) do livro mas detestei a do filme, é uma personagem tão completa e ali não passou de uma sidekick, primeiro à mercê de Langdon e depois descobre-se que à mercê de Zobrist, a grande mente por trás do grande plano maquiavélico.
É tudo tão explicado e com tanto sentido no livro, já a adaptação não passou de um filme de acção com muito Dante Alighieri pelo meio.
Os pontos positivos que destaco são mesmo as visões do Robert do inferno de Alighieri, imagens super realistas e a arte que se consegue ver no filme, ainda que tudo seja bastante superficial. Esta obra merecia um filme bem mais aprofundado.

Sem comentários

Enviar um comentário

© the washing machine.
Maira Gall