quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Livros|Melhores de 2015

Depois dos filmes e das séries do ano, deixo-vos com as melhores leituras que fiz em 2015. Consegui ter mais tempo para ler este ano e senti-me muito mais feliz, pois já à alguns anos que tinha perdido este hábito de ler regularmente, muito devido à universidade e ao trabalho.


A Sombra do Vento de Carlos Ruiz Zafón|2001
Sem dúvida um dos melhore livros que li em toda a minha vida. A história está super bem articulada, não deixa perguntas por responder. Apesar de ser um livro pesado e que custa a ler nas primeiras duzentas páginas, as outras trezentas valem todo esse sacrifício. Não consegui parar de ler quase 250 páginas de uma vez só. É um livro com personagens bastante marcantes, mas o Fermin destaca-se imenso, porque apesar de ser um pouco sombrio, este livro, o Fermin conseguiu-me fazer gargalhar bastante, mesmo a bandeiras despregadas, admito. Gostei tanto deste livro que já tenho o segundo volume, oferecido no Natal.

Inferno de Dan Brown|2013
Este livro explora o universo de Dante, e leva-nos numa busca misteriosa que envolve sempre a obra de Alighieri.
Sendo uma fanática pela escrita de Brown, claro que só posso dizer bem deste livro dele. A forma como Dan faz de nosso professor de história e de história de arte é talvez o motivo porque me fascina a escrita dele, mas as reviravoltas que ele consegue fazer num livro de pouco mais de 500 páginas, tiram me do sério. Inferno e o Símbolo Perdido fizeram-me querer saber mais e visitar aqueles espaços onde decorre toda esta Historia. É espectacular a mente de Brown, espelhado-se em Langdon.
Foi sem dúvida dos melhores do ano, pela história, pelas voltas, por aquilo que me ensinou.

  
Selznick é mestre na arte de desenhar e de contar histórias. A Invenção de Hugo Cabret está magnifico. Cada página que viramos neste livro remete-nos para a história. É tudo magnífico neste livro. A escrita, os desenhos, o acabamento do livro, a história em si, as cores, especialmente as cores e os desenhos. Nunca tinha lido nada do autor, mas vivia a sonhar com este livro. É sem dúvida dos livros mais bonitos que já tive em mãos. Até o cheiro do livro me parece diferente, não sei se pela coloração das páginas, mas tem um cheiro único. A história de Hugo Cabret por vezes leva-nos a questionar-nos se aconteceu de facto, não fosse Brian Selznick escrever no final do livro que era uma história meramente inventada que eu acreditaria que tinha de facto acontecido. Para ter na estante, pela narrativa e claro pela beleza.

MAUS de Art Spiegelman|1986

Este é um livro muito especial, é contado pelo filho de um Judeu que sobreviveu a Hitler, que coloca em desenho toda a história de seu pai. É sem dúvida uma obra que nos parte o coração. Spiegelman além de narrar muito bem a história também a desenha. São espetaculares as tiras.

Sem comentários

Enviar um comentário

© the washing machine.
Maira Gall